Bicicleta Ergométrica: Com Ela Você Emagrece E Define O Organismo

Bicicleta Ergométrica: Com Ela Você Emagrece E Define O Corpo humano


A história é quase a todo o momento a mesma: a pessoa compra uma bicicleta ergométrica com a melhor das intenções, mas, no fim de contas, o objeto acaba esquecido num canto da residência, virando cabide ou porta-bolsas. Pela academia ou no salão de ginástica do prédio, a cena não é distinto: toda humanidade lota as esteiras e o transport sempre que as pobres das bikes ficam em segundo plano. Mas, essa rejeição à bicicleta não tem cada critério: ela é uma arma infalível para enxugar a gordura e deixar seu organismo magrinho e elegante. Pedalar é um exercício aeróbico muito eficiente para quem quer emagrecer e melhorar o condicionamento físico”, diz o professor Vinicius Dias, da academia Bio Ritmo, em São Paulo.


E o melhor: além de perder gordura, você vai conceder uma bonita modelada nas pernas e no bumbum, porque o trabalho muscular nessa região é volumoso. Desta forma, está mais do que na hora de botar a bike pra funcionar a teu favor. O professor Vinicius desenvolveu um programa perfeito para as pessoas que vai começar a pedalar, todavia neste momento tem um nível de condicionamento físico razoável. Pela primeira semana, o exercício é mais sereno pra adaptação. O plano dura um mês e a alteração do ritmo e da carga é que deixa a malhação mais eficiente.


Dessa maneira, dá pra perder até 4 quilos em quatro semanas - desde que você não passe a consumir mais do que está acostumada. Se quiser continuar seguindo o programa após um mês, basta acrescentar a carga, mantendo a regularidade de quatro vezes por semana e respeitando a frequência cardíaca indicada. O peso é um dos recursos pra intensificar o trabalho muscular. Quanto mais pesada estiver a bike, superior o estímulo nos músculos das pernas e do bumbum.


Carga baixa: de um a 3. Você aproximadamente não percebe o serviço muscular. Carga intermediária: de quatro a seis. Você sente o trabalho muscular. Carga alta: de 7 a 10. O serviço muscular é muito acentuado. O que vai estabelecer a intensidade das pedaladas é a sua frequência cardíaca. É sério monitorá-la e mantê-la dentro da faixa indicada no treino.




Isto significa que você terá que conservar o batimento cardíaco entre 130 e 140 vezes por minuto. Se tiver frequencímetro, melhor (os modelos mais baratos custam, em média, 150 reais). O aparelho mede com precisão seus batimentos cardíacos e avisa quando você sai da faixa indicada. Caso não tenha, utilize a tabela de sabedoria de empenho abaixo, criada pela academia Bio Ritmo pra aulas de ciclismo indoor. FCM – Descomplicado. Não modifica a respiração, não cansa as pernas, é um passeio de bicicleta.


FCM – Moderado. Respiração ainda normal, pernas começam a notar a resistência do pedal, saindo da zona de conforto. FCM – Moderado alto. Respiração quase ofegante, pernas sentem a resistência do pedal, levemente desconfortável. FCM – Robusto. Respiração ofegante (todavia consegue suportar), pernas levemente cansadas, desconfortável. FCM – Muito forte. Respiração bem ofegante, pernas cansadas, intuição de que não oferece para sustentar muito tempo.


FCM – Extenuante. Respiração extremamente ofegante, pernas muito cansadas, sensação de cobiçar parar o rapidamente possível. Estica-e-puxa. É importante alongar os músculos, principalmente das pernas, antes e após pedalar, pra impossibilitar lesões. Os alongamentos iniciais também ajudam a conceder mais rendimento da musculatura durante a prática. Hidratação na proporção. Tenha uma garrafinha de água sempre à mão e beba aos poucos durante todo o exercício.


Desidratado, seu corpo humano perde rendimento e até a contração muscular fica prejudicada. Roupas adequadas. Use camisetas que permitam a transpiração. Como vai continuar sentada durante longo tempo, podes optar por uma bermuda acolchoada, com proteção extra no bumbum (à venda em lojas de postagens esportivos). Prefira tênis com solado mais rigoroso, já que desta forma você exige menos da musculatura do arco do pé e impossibilita dores após o exercício.


Distração por perto. Vale ligar a Tv no teu programa preferido ou ouvir uma música bem animada (dance, tecno e rock são excelentes ritmos pra movimentos rápidos e que exigem potência). Desta forma, o tempo passa voando! Obediência além de tudo. Possibilidade um horário fixo para malhar. Com o equipamento disponível vinte e quatro horas por dia, é comum deixar pra se exercitar a todo o momento que sobrar um tempinho. Aí você corre o risco de adiar pra depois e depois… E acaba não pedalando nunca.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *